Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas bate novo recorde de inscrições em 2017

A Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas (OBMEP), em 2017, bateu um novo recorde de escolas inscritas: 51.373. Neste ano, pela primeira vez, a maior competição estudantil do mundo contará também com alunos de colégios particulares. O total de instituições públicas (48.448) foi superior ao registrado em 2016 (47.474), antiga marca. Além disso, a participação dos colégios privados está sendo efetiva: 2.925 inscrições. Os dados estão em fase de processamento e o número de inscritos ainda deve aumentar. O prazo para inscrição foi encerrado na última sexta-feira, dia 31.

“O aumento do número de inscrições é uma ótima notícia. E o total de escolas particulares inscritas deve ser comemorado. É uma participação muito boa porque este é o primeiro ano em que a OBMEP está aberta às instituições privadas. A expectativa é de que essa adesão cresça ao longo das próximas edições”, avalia Marcelo Viana, diretor-geral do IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada.

A adesão de alunos das escolas privadas a partir desta 13ª edição da OBMEP pretende garantir que todas as escolas brasileiras tenham acesso a material de qualidade, ajudando a despertar o gosto pela Matemática. Esse tipo de iniciativa tem produzido resultados positivos nas escolas. No ano passado, 17,8 milhões de alunos de 99,6% dos municípios brasileiros fizeram as provas da OBMEP.

Estudos independentes têm comprovado um efetivo impacto da OBMEP nos resultados de Matemática alcançados por estudantes. Escolas que participam ativamente da competição acadêmica apresentam acentuada melhora no desempenho de seus alunos na Prova Brasil: a evolução é da ordem de 26 pontos, o que corresponde a 1,5 ano de escolaridade extra.

Destinada a estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, a OBMEP tem contribuído para estimular o estudo da Matemática no Brasil, identificar jovens talentosos - incentivando seu ingresso nas áreas científicas e tecnológicas - e promover a inclusão social pela difusão do conhecimento.

A OBMEP vai continuar a dar o mesmo número de medalhas a alunos de escolas públicas (500 medalhas de ouro, 1.500 de prata, 4.500 de bronze e até 46.200 menções honrosas) que nas edições anteriores, e também premiará estudantes de escolas particulares (25 ouros, 75 pratas, 225 bronzes e até 5.700 menções honrosas).

As provas serão distribuídas de acordo com o grau de escolaridade - nível 1 (matriculados no 6º ou 7º ano do Ensino Fundamental); nível 2 (matriculados no 8º ou 9º ano do Ensino Fundamental); e nível 3 (matriculados em qualquer ano do Ensino Médio) – e aplicadas em duas fases. A primeira será realizada dia 6 de junho e é constituída de questões de múltipla escolha. Já a segunda, marcada para 16 de setembro, será uma avaliação discursiva.

Criada em 2005 pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), a OBMEP é promovida com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

Informações para a imprensa


www.obmep.org.br/imprensa.htm