Professor Luiz Felipe Lins é eleito Educador do Ano

 

 

Durante os 25 anos que passou em salas de aula da educação básica, o professor de matemática Luiz Felipe Lins sempre manteve um olhar atento para as oportunidades que poderiam transformar seus alunos. Fosse estimulando os estudantes a participar de competições científicas, como a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), ou através de projetos pedagógicos criativos, engajar as turmas na educação e aumentar sua autoconfiança na disciplina era um norte. Ao ganhar a edição de 2020 do prêmio Educador do Ano, nesta terça-feira (27), o professor da Escola Municipal Francis Hime se sente “coroado por um trabalho de muitos anos.”

 

No projeto “Geometria e Construção”, que rendeu a Luiz Felipe a distinção, o professor usou plantas e projetos de imóveis para ensinar matemática. “É a premiação de uma categoria. Acredito que represento os professores e espero contribuir para que eles usem o projeto e repliquem. Para quem está na escola pública, toda ferramenta é uma oportunidade para transformar. Se a gente transformar um aluno, já é uma conquista. Se a gente consegue transformar 100, começamos a mudar o país”, comenta o professor.

 


Único de matemática na disputa, o trabalho de Luiz Felipe estava entre os dez projetos selecionados para o Prêmio Educador Nota 10. Uma banca de jurados composta por cinco especialistas em educação avaliou os trabalhos, que vinham do Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro. Além de ser eleito Educador do Ano pela Academia de Jurados, o professor também recebeu o troféu de melhor professor pelo voto popular, conquistando 24% dos votos. Transmitida ao vivo no Canal Futura, a cerimônia de premiação contou com apresentação do comediante Fábio Porchat e da jornalista Karen de Souza.

 

Tudo começou com um anúncio de construção de moradias populares próximo ao Colégio Municipal Francis Hime, em Jacarepaguá, zona Oeste do Rio de Janeiro. Percebendo o rebuliço que a novidade tinha causado nos estudantes, Luiz Felipe dividiu os alunos em grupos que se dedicaram a analisar uma planta baixa de imóveis, idealizar a construção de casas com direito a maquete e calcular áreas e custo para instalação de pisos. Para desenvolver o trabalho, os estudantes consultaram preços na internet, visitaram lojas de construção e conversaram com pedreiros, arquitetos e engenheiros.

 

“Quando os alunos mais novos conseguem ver a aplicação daquilo que eles estudam, trazemos eles para uma matemática que faz mais sentido, e isso gera uma autonomia e autoconfiança. Como o tema era construção, o trabalho de um pedreiro era valorizado, e muitas das crianças têm esses profissionais em sua família”, relata.

 

Com a visibilidade do prêmio, o docente espera contribuir e motivar outros profissionais. “É um projeto simples, de baixo custo, que pode ser aplicado em escolas públicas e privadas. Além de possibilitar que eles aprendessem muitos conceitos matemáticos, foi uma oportunidade de desmitificar o medo que os estudantes têm da matemática”, comenta.

 

O estímulo ao engajamento dos alunos com o conteúdo ensinado em sala de aula já rendeu bons frutos para a Escola Municipal Francis Hime. As turmas dos 7º e 8º anos do Ensino Fundamental para Luiz Felipe lecionou acumulam mais de 650 premiações, entre medalhas e menções honrosas em competições matemáticas. O próprio professor já foi premiado dez vezes na OBMEP.

 

Agora, ele espera um momento seguro para comemorar a vitória com seus pupilos, mas já recebeu congratulações virtuais da turma. “Foi uma festa no nosso grupo do Whatsapp. Todos ficaram muito felizes. Quando você trabalha com projetos, a responsabilidade também é dos alunos.”

 

Com o título de Educador do Ano, o professor, que já havia recebido R$ 15 mil pelo Prêmio Educador Nota 10, ganhará outro vale-presente, também no valor de R$ 15 mil. Ele planeja usar parte do valor para retomar as aulas de robótica do projeto Meninas Olímpicas, do IMPA e CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), que incentiva adolescentes de escolas públicas do Rio a seguirem na ciência e tecnologia.

 

O Prêmio Educador Nota 10 é realizado pela Fundação Victor Civita em parceria com Abril, Globo e Fundação Roberto Marinho. O objetivo é reconhecer e valorizar professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também gestores escolares (orientador educacional, orientador pedagógico, coordenador pedagógico e diretor) de escolas públicas, privadas, filantrópicas de acesso público, rurais ou urbanas de todo o país. A distinção tem o apoio da Nova Escola, Instituto Rodrigo Mendes, Unicef e BDO, e o patrocínio da Fundação Lemann e SOMOS Educação. Desde 2018, o Prêmio Educador Nota 10 é associado ao Global Teacher Prize, prêmio global de Educação.

 

Confira a cerimônia de premiação: 

Fonte: IMPA 

 

Leia também: 

Participação na OBMEP impacta no Enem, aponta Landim

Na pandemia, bolsa Instituto TIM-OBMEP ajuda universitários

 




$result.label